Hagleitner e Engel juntas contra a Covid-19

Célula de produção em funcionamento em apenas três dias

20/01/2021

Os desinfetantes de mãos têm sido dos produtos mais procurados desde o início da pandemia de Covid-19. Para dar resposta ao repentino aumento no número de encomendas, a marca austríaca especialista em higiene Hagleitner mais do que duplicou o seu volume de produção em menos de uma semana. Este ritmo nunca antes visto foi possibilitado por um lado pela visão demonstrada pela gestão e por outro lado pelo trabalho de equipa realizado com os parceiros de longa data Engel, Alpla e Meister-Quadrat.

foto

Os adaptadores com um selo integrado são produzidos numa moldagem por injeção de duas componentes em duas máquinas de injeção e-victory 160 da Engel.

Fundada em 1971, a Hagleitner Hygiene International GmbH é especializada em soluções de higiene inovadoras. A variedade de produtos vai desde sabão e doseadores de desinfetante a equipamento de medição para sistemas de lavagem e enxaguamento através de agentes de limpeza altamente eficazes. Todos estes produtos são fabricados pelo próprio negócio familiar. A sede da empresa em Zell am See, Áustria, combina a produção de engenharia química, o acabamento de papel e processamento de plásticos.

Os doseadores para desinfetantes das mãos desde há muito que se tornaram equipamento de série e não apenas nos hospitais e lares. As empresas oferecem desinfetantes aos seus funcionários e visitantes e, para ajudarem a conter a pandemia de Coronavírus, as instituições públicas e o comércio são também obrigados a fornecer desinfetantes para as mãos. Para poder reabastecer os práticos doseadores, que permitem um doseamento livre de contacto, de uma forma rápida e simples, a Hagleitner desenvolveu os ‘vacuumBags’. Estes pacotes de reabastecimento consistem num saco tubular e num adaptador com um fecho integrado. Quando o saco é introduzido de cabeça primeiro, no doseador, o fecho é automaticamente forçado a abrir.

A Hagleitner utilizou uma unidade de produção para fabricar 10 000 pacotes de reabastecimento por dia ao longo de dois turnos e meio, cinco dias por semana, cobrindo assim as necessidades dos seus clientes espalhados pela Europa. “E depois chegou o coronavírus”, afirma Hans-Jürgen Landl, diretor de divisão de injeção, doseadores e criação de moldes, abordando um dos mais emocionantes projetos de adaptação que a empresa alguma vez vivenciou nos seus quase 50 anos de história. Praticamente da noite para o dia, a demanda por desinfetantes das mãos mais do que duplicou. A Hagleitner fez todos os esforços possíveis para aumentar a produção o mais rapidamente possível.

foto
A produção de moldagem por injeção da Hagleitner em Zell am See: ao longo de toda a gama de produtos, a produção aumentou 5x em resposta à Covid-19.

Rede de parceiros oferece apoio mútuo

O entrave consistiu na produção da moldagem por injeção. Os adaptadores são produzidos num processo de 2 componentes numa máquina de moldagem por injeção ENGEL e-victory 160, num molde de placa rotativa de 4+4 cavidades. Em primeiro lugar, a estrutura é moldada por injeção em polipropileno branco e depois do molde ter sido rodado, o selo – feito a partir de TPE azul – é diretamente injetado. O aumento da produção de cinco para sete dias por semana e de 2,5 para 3 turnos, foi ainda assim insuficiente para lidar com a crescente procura. Isto levou à decisão de lançar uma segunda célula de moldagem por injeção.

Por norma, isto foi possível uma vez que a Hagleitner tinha já encomendado, há 2 anos atrás, um molde de 4+4 cavidades idêntico para os adaptadores. “Como molde de substituição caso o molde de produção alguma vez falhasse, “explica Landl.”Para que pudéssemos sempre continuar o fornecimento.” Nessa altura ninguém pensou numa pandemia.

De forma a aumentar rapidamente a produção com este molde de substituição, a ideia consistiu em converter uma máquina de moldagem por injeção. Foi montado um total de 18 máquinas de moldagem por injeção em Zell am See; e à exceção de uma máquina dupla ENGEL de grandes dimensões, todas elas são máquinas e-victory sem colunas de variadas forças de aperto. Estas incluem outras 160 máquinas e-victory, mas nenhuma idêntica em design à máquina utilizada para as peças adaptadoras. A funcionalidade especial na produção do adaptador consiste na pequena unidade de injeção adicional para a injeção da componente TPE, das quais apenas uma estava anteriormente disponível entre a maquinaria da Hagleitner. Este não é um produto que pode ser rapidamente encomendado.

O facto de uma segunda e-victory 160 com o molde de substituição ter ainda assim sido capaz de entrar em produção em apenas alguns dias, deve-se à excelente rede de parceiros da Hagleitner. Coordenadas por Michael Meister, proprietário das instalações de engenharia Meister-Quadrat em Niklasdorf, Áustria, a Hagleitner, Alpla e a Engel demonstraram a sua solidariedade.

A Alpla, especialista austríaca em embalagens e reciclagem tem vindo desde há muitos anos a fornecer a Hagleitner com recipientes e garrafas. Michael Meister sabia que eram utilizadas nas fábricas Alpla pequenas unidades de injeção semelhantes. Sem mais demoras, Meister contactou a Alpla. E esta enviou uma unidade para Zell am See para ajudar a conter a pandemia em colaboração com a Hagleitner.

foto

“E depois chegou o Coronavírus”. Hans-Jürgen Landl, diretor de divisão para a moldagem por injeção, doseadores e criação de moldes na Hagleitner, viu-se obrigado a mais do que duplicar a produção num brevíssimo espaço de tempo de forma a dar resposta ao repentino aumento na procura de desinfetantes para as mãos.

Estratégia de plataforma acelera a adaptação

Para converter a máquina e-victory, Michael Meister viajou até à Hagleitner com o técnico de serviço da Engel, Rene Zwischenberger. A tarefa que enfrentaram foi deveras difícil, uma vez que não existiam peças sobresselentes nem uma lista de materiais correspondente devido à natureza urgente do trabalho. As componentes necessárias para a instalação da pequena unidade, assim como as válvulas hidráulicas e o dispositivo de oscilação do molde necessários pelo arraste adicional do molde do adaptador, foram removidas de outra máquina e instaladas na e-victory 160 designada para o trabalho. Foi aqui que a estratégia da Hagleitner deu frutos. Há 6 anos atrás, a empresa iniciou uma campanha de estandardização em cooperação com os escritórios de engenharia da Meister-Quadrat. “Todas as nossas máquinas de moldagem por injeção possuem uma elevada especificação técnica e um grande número de entradas e saídas para apoiar um uso flexível”, afirma Landl. “A pandemia de Coronavírus confirma uma vez mais que uma estratégia de investimento orientada para o futuro é a escolha certa”.

“Beneficiámos em grande medida desta modularidade, “confirma Gerhard Hochstöger, Líder de Equipa no Agendamento de Serviços na sede da Engel em Schwertberg, Alta Áustria.”Ser capaz de aceder a hardware de outra máquina não é algo que podemos ter como garantido. No espaço de 2 dias já dispúnhamos de todas as peças e até mesmo de todo o software da máquina com todos os ajustes necessários instalados, tendo nesse momento começado o trabalho de conversão”.

Depois de apenas 3 dias, a célula entrou em produção. Isto significa que duas máquinas produzem agora 15 000 vacuumBags por dia, 24h por dia e 7 dias por semana. “O fator que tornou possível este tempo recorde foi o facto deste projeto juntar pessoas que se conhecem e nas quais confiam pessoalmente desde há muitos anos, “exclama Michael Meister em tom de resumo.”Fomos capazes de arrancar imediatamente e ignorar as burocracias. Todos sabíamos que estavam em jogo vidas humanas. Todos fizeram a sua parte.”

Jaba: tradução 4.0

Subscrever a nossa Newsletter

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

www.interplast.pt

InterPLAST - informação para a indústria de plásticos portuguesa

Estatuto Editorial