Eficazes na dissipação de cargas eletrostáticas

Esferas de transferência da igus garantem operações seguras na manipulação de componentes

19/01/2021

Na indústria, o transporte e manipulação de produtos sensíveis é muitas vezes efetuado através de mesas de esferas, muitas delas equipadas com esferas de transferência em polímero da igus, capazes de movimentar cargas até 500 N de forma suave e em todas as direções, sem quaisquer lubrificantes. De modo a proteger tanto os produtos transportados como os operadores das descargas de eletricidade estática descontroladas, a igus desenvolveu agora o tribopolímero xirodur F182 para as suas esferas de transferência. O novo material tem elevada duração de vida e deu provas da sua condutividade eletrostática em diversos testes.

foto
O tribopolímero xirodur F182 isento de lubrificação permite que as esferas de transferência xiros tenham elevada duração de vida, sendo também eletricamente condutoras. Desta forma, os operadores de mesas de esferas podem ter a certeza que não experienciarão qualquer descarga eletrostática. Imagem: igus GmbH.

É usual, com o tempo frio e o ar seco, sentir um ligeiro choque elétrico ao tocar num objeto ou dar um aperto de mão. A proteção contra o choque elétrico apenas pode ser assegurada por têxteis que sem carga eletrostática. A situação é semelhante na indústria. Se trabalhar na produção, não quererá sofrer um choque ao tocar numa caixa ou num produto. Neste tipo de ambiente, são necessários materiais eletrostaticamente condutivos.

Por isso, a igus desenvolveu agora o material xirodur F182 para as suas esferas de transferência em polímero xiros. As esferas de transferência são principalmente utilizadas em mesas de esferas para movimentar cargas sensíveis ou pesadas – até 50 kg por unidade, consoante o tamanho – em todas as direções. Um transporte suave e isento de lubrificação é possível através da utilização de tribopolímeros com elevada duração de vida e resistentes ao desgaste.

Graças à composição especial do novo material xirodur F182, a esfera de transferência consegue agora dissipar cargas estáticas. É uma vantagem significativa em relação às esferas de transferência metálicas, que apresentam um efeito isolante devido à utilização de lubrificantes. Tais componentes eletrostaticamente dissipativos são necessários especialmente nas indústrias de computadores e semicondutores. Isto porque um pico de carga eletrostática não dissipada por um material isolante pode facilmente destruir o produto.

Teste prova a condutividade

No laboratório de testes da igus, de 3800 metros quadrados, foi examinada a condutividade eletrostática das esferas de transferência. As esferas de transferência fabricadas com o novo material xirodur F182 foram testadas e comparadas com as esferas de transferência fabricadas com o já testado e comprovado xirodur B180.

Embora o xirodur B180 tenha apresentado uma resistência superficial de 1012 Ω no laboratório, bem como um efeito isolante, o xirodur F182 registou uma resistência superficial inferior a 105 Ω, sendo assim classificado como material condutor de acordo com a norma DIN EN 61340-5-1. Desta forma, quando utilizar as esferas de transferência em polímero, é assegurado que não sentirá qualquer descarga energética aquando da manipulação dos componentes.

Jaba: tradução 4.0

Subscrever a nossa Newsletter

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

www.interplast.pt

InterPLAST - informação para a indústria de plásticos portuguesa

Estatuto Editorial